Notícias

Campanha Salarial 2018 Setor Químico: patronal apresenta suas propostas

Primeira rodada de negociação foi realizada nesta terça, 9 de outubro, em São Paulo

Na 1ª Rodada de Negociação da Campanha Salarial 2018 dos Químicos, realizada na manhã desta terça-feira (9/10) no Sindicato dos Químicos de SP, a patronal apresentou proposta de reposição da inflação sobre os salários, medida pelo INPC (que será divulgado no dia 7 de novembro), sem considerar qualquer proposta de aumento real aos trabalhadores. 

Além disso, colocou sobre a mesa duas propostas polêmicas que estão em pauta no Grupo de Trabalho da Reforma Trabalhista - formado por representantes da Fetquim/Fequimfar e patronais – mas que ainda estão em discussão e formatação: a liberação do banco de horas e a remuneração dos aprendizes.

José Roberto Squinello, do CEAG-10, afirmou que se trata de “proposta final” da patronal.

Representantes da Fetquim/CUT e Fequimfar/Força Sindical farão consultas às suas bases.

Proposta econômica da patronal:

- Reajuste pelo INPC de 1/11/17 a 31/10/18, 

- Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 1000 para empresas com até 49 funcionários 

- PLR no valor de R$ 1110,00 para empresas com mais de 50 funcionários 

Propostas sociais da patronal: 

- Continuidade do Grupo de Trabalho entre representantes dos trabalhadores com o CEAG-10 para discutir os impactos da Reforma Trabalhista sobre a Convenção Coletiva da Categoria (CCT) Química.

- Vigência da Convenção Coletiva da Categoria (CCT) Química por 2 anos.

- Exclusão da cláusula de temporários que consta na CCT da Fetquim/CUT 

- Inclusão de termos que estão sendo discutidos no GT da Reforma Trabalhista, como proibição de gestantes e lactantes de trabalhar em local insalubre, Comissão de Solução de Conflitos, banco de horas e salário do jovem aprendiz.

Fonte: Fetquim

 

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: