Notícias

Governo estuda congelar aposentadorias e pensões por dois anos

Mais uma ataque aos direitos. Saga de maldades contra o trabalhador não tem fim

Mercado de Trabalho ruim, taxa de emprego nas alturas, famílias no sufoco. Mas parece que isso não basta. Nesta segunda, foi noticiado no site da CUT e de várias centrais sindicais de Bolsonaro quer agora congelar as aposentadorias por dois anos e desvincular os benefícios previdenciários dos reajustes do salário-mínimo. 

A medida vai gerar ainda mais efeitos negativos para a economia e para os milhões de famílias que têm de sobreviver com as aposentadorias dos idosos. 

Pelas regras atuais do INSS, as aposentadorias e pensões são reajustadas quando o salário-mínimo é corrigido. Mas, os benefícios mais altos não têm a mesma vinculação. Neste ano, por exemplo, o reajuste salarial foi de 4,7% e os benefícios acima do piso foram corrigidos em 4,48%.

“Bolsonaro continua na sua sanha de Robin Hood às avessas. Tira  dos pobres para dar a quem está em condição de miserabilidade, ao invés de tirar dos ricos, dos banqueiros, do sistema financeiro, das elites, das grandes fortunas”, destaca Adriana Marcolino, economista, técnica do Dieese.

Com informações da CUT e Bancários Bahia

Imagem: Alex Capuano/CUT

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: