Vitória no SETOR FARMACÊUTICO: sindicatos assinam Convenção Coletiva garantindo direitos

Notícia

Vitória no SETOR FARMACÊUTICO: sindicatos assinam Convenção Coletiva garantindo direitos

11/04/2019 às 10:47

Campanha Salarial Unificada Fetquim e Fequimfar chega ao fim com importantes vitórias da categoria

Na tarde desta quarta-feira, 10/4, líderes da FETQUIM/CUT e da FEQUIMFAR/Força Sindical e respectivos sindicatos afiliados assinaram a Convenção Coletiva de Trabalho do Setor Farmacêutico beneficiando cerca de 20 mil trabalhadores em todo o estado de São Paulo.

Direitos como jornada semanal de trabalho de 40 horas, licença maternidade de 180 dias, medicamentos gratuitos e/ou subsidiados foram mantidos, além de reajustes nas cláusulas econômicas. Ficou mantido também o Grupo de Trabalho formado por representantes da FEQUIMFAR, FETQUIM e filiados e representantes patronais que vai continuar discutindo as mudanças das novas leis trabalhistas

“Mais uma vez, nossa unidade de luta entre os Químicos da Força Sindical e CUT, resultou em importantes conquistas para a categoria! Com reajuste de 100% do INPC (4,67%), incidentes também sobre os atuais pisos salariais e PLR, também avançamos no reajuste do Cartão Alimentação. Além disso, conseguimos garantir cláusulas econômicas e sociais vigentes, tais como jornada de 40 horas semanais, licença-maternidade de 180 dias, medicamentos gratuitos e/ou subsidiados, bem como continuidade dos Grupos Permanentes de Negociação”, comemorou Sergio Luiz Leite, o Serginho, presidente da FEQUIMFAR.

Airton Cano, coordenador político da Fetquim/CUT, destacou como "um exercício inteligente" a atuação do Grupo de Trabalho formado por representantes dos trabalhadores e do Sindusfarma (patrões) que já vem discutindo a atualização da Convenção Coletiva dos Farmacêuticos na era pós reforma trabalhista.

O secretário-geral e de imprensa, Paulão, assinou a Convenção Coletiva representando o Sindicato dos Químicos do ABC (foto).

 

Principais conquistas

Reajuste Salarial: 100% do INPC (INPC/IBGE de 4,67%)
Com teto de R$ R$ 8.800,00 (reajuste de 3,38%)
Valor fixo de R$ 410,96

Piso Salarial

Para empresas com até 100 empregados
Reajuste de 100% do INPC
De R$ 1.483,60 passará a ser de R$ 1.556,28 (com aumento real de 0,22%) 

Para empresas com mais de 100 empregados
Reajuste de 100% do INCP (INPC/IBGE de 4,67%)
De R$ 1.669,85 passará a ser de R$ 1.747,82

PLR – Participação nos Lucros e Resultados

Para empresas com até 100 empregados
Reajuste de 100% do INPC (INPC/IBGE de 4,67%)
De 1.695,28 passará a ser de R$ 1.774,43

Para empresas com mais de 100 empregados
Reajuste de 100% do INPC (INPC/IBGE de 4,67%)
De R$ 2.352,10 passará a ser de R$ 2.461,94

Cartão alimentação:

Empresas com até 100 funcionários
Reajuste de 5,91% (com aumento real estimado de 1,18%)
De R$ 220,00 passará para R$ 233,00

Empresas com mais de 100 funcionários
Reajuste de 6,06% (com aumento real estimado de 1,33%)
De R$ 330,00 para R$ 350,00

Com informações da Fequimfar e Fetquim