Notícias

5 de Outubro: Prevenção Permanente Contra o Benzeno Cancerígeno

No Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno, a Assessoria de Saúde e Previdência da Fetquim/CUT aborda os riscos da substância cancerígena

Por Assessoria de Saúde e Previdência da Fetquim/CUT

O 5 de outubro é uma data de luta dos trabalhadores para alertar sobre os problemas do Benzeno em toda a sociedade.  Há inúmeros estudos que demonstram que o benzeno é cancerígeno e provoca alterações no sangue (hematotóxicas), como leucopenia e leucemia ( espécie de câncer).

O Benzeno é um contaminante universal, e é preciso atenção permanente aos seus efeitos cancerígenos segundo a  Agência Internacional de Pesquisa do Câncer Americano (IARC), Organização Mundial da Saúde (OMS), Fundacentro ( Ministério do Trabalho e Previdência) e Ministério da Saúde, através dos Cerest (Centros de Referência de Saúde do Trabalhador).

Daí a necessidade, como alerta o Secretário de Saúde da Fetquim, André Alves, do “intenso trabalho sindical e de fiscalização, além da vigilância sanitária dos estados e municípios e fiscalização  para que não choremos os companheiros e a população acometida pelo câncer”.

Airton Cano, recorda, como coordenador político da Fetquim, que a “luta contra o benzeno se intensificou nos últimos 40 anos, quando foram descobertos casos de leucemia no Sindicato dos Químicos do ABC na antiga Matarazzo Química, que teve ser fechada devido aos inúmeros casos de contaminação nos anos de 1980, além de casos em outras empresas.”  

A Pesquisadora da Fundacentro, doutora em Química, Arline Arcuri, alerta também que o principal problema é que o benzeno está presente na gasolina, com percentual até 1%.  Hoje no Brasil, a partir de dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), são distribuídos 150 bilhões de litros de gasolina no território nacional, e nestes 150 bilhões estão presentes mais de 1 bilhão de litros de benzeno (1% do total). Esse é um perigo para toda a população brasileira, e deveria haver leis estaduais e municipais, inclusive, que não permitissem postos de gasolina nas cidades próximo a hospitais e principais de escolas para que as crianças não estejam sujeitas a esses milhões de litros que estão presentes em postos de gasolina pelo Brasil afora. A Comissão Nacional de Benzeno conseguiu que nos postos nas bombas de gasolina fosse dado o alerta, mas infelizmente depois do golpe de 2016, e principalmente o governo Bolsonaro desativou esta comissão, mostrando a contínua face necrológica, se não bastassem os 600 mil mortos por covid, grande parte por omissão do governo, conforme está demonstrado pela CPI do senado.

Paulo Sérgio (foto), da COMSAT, dos Químicos do ABC,  alerta também quanto aos riscos presentes do Benzeno que atinge diversos órgãos, e considera que a campanha além de alertar os trabalhadores deve alertar toda a população e os frentistas de postos de gasolina. “Por isso que no dia 05 de outubro, Dia Nacional de Luta contra o Benzeno, é importante uma campanha de informações para os frentistas também que estão sujeitos aos riscos ocupacionais do benzeno e sujeitos ao câncer, e deverão ficar cada vez mais atentos para preservar a sua saúde.”

 

Com informações da Fundacentro e da Revista Brasileira de Saúde Ocupacional.

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: