Notícias

Empresas do Polo Petroquímico fazem acordo com Sindicato para amenizar impacto do Covid-19

Empresas contempladas são Braskem, Oxiteno, Cabot e Vitopel. Prioridade agora é manter a saúde e os empregos

O Sindicato dos Químicos do ABC fechou mais um acordo extraordinário para enfrentar a situação da pandemia do coronavírus. Desta vez, o acordado visa proteger a saúde e os empregos dos trabalhadores e trabalhadoras do Polo Petroquímico de Capuava.

O que diz o acordo:

• Serviços de manutenção preventiva serão suspensos, com redução do efetivo na planta de 65 % do pessoal terceirizado.

• Trabalhadores/as que fazem parte dos grupos vulneráveis devem trabalhar remotamente ou afastados, conforme o caso.

• A jornada será alterada através de acordo com o Sindicato a caráter temporário por tempo determinado podendo ser alterado conforme a pandemia:

 A jornada será com quatro turmas, sendo uma turma em resguardo por 14 dias à disponibilidade da empresa.

A tabela será alterada com jornada de 12 horas ou 8 horas com folgas determinadas conforme a tabela de turno.

• Os acordos contemplam empresas do polo petroquímico como Braskem, Oxiteno, Cabot e Vitopel.

• As empresas se comprometem a manter o diálogo contínuo e informar ao Sindicato qualquer alteração ou aparecimento de casos de teste positivo do Covid 19.

“As medidas acordadas visam manter a segurança e integridade dos trabalhadores e trabalhadoras e mostram o amadurecimento do diálogo entre Sindicato e empresas. Nossa prioridade neste momento é preservar a saúde e os empregos e juntos, todos juntos, vamos vencer mais essa batalha!”, afirma o diretor do Sindicato e coordenador da Regional Santo André, Joel Santana, trabalhador na Braskem.

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: