Notícias

Novo pente fino do INSS de 1,7 milhão de segurados: mais um ataque do governo Bolsonaro aos mais pobres

Confira alerta do ex-presidente do Sindicato, Remígio Todeschini, atual assessor da Fetquim-CUT

Texto de Remígio Todeschini, assessor de saúde e Previdência da Fetquim/CUT

O INSS anunciou na véspera do feriado da semana da pátria um novo ataque aos direitos previdenciários dos mais pobres. Estarão sob  revisão  1,7 milhão de benefícios  concedidos de aposentadorias, auxílios-doença e pensões.  É bom recordar que a  reforma previdenciária de Bolsonaro (BEPS, 07/20) já rebaixou a média de concessão de benefícios em 20%. Em novembro de 2019, no mês da promulgação da nova reforma, a média de concessão era de 1.463,00 e passou em julho de 2020 a ser de 1.204,00. 20% menor. Uma perda considerável para os segurados da previdência social. E agora o governo volta a atacar com a suspensão de aposentadorias, pensões e auxílios-doença se não forem entregues as documentações pedidas em mais uma revisão administrativa. Por outro lado,  como divulgado pela revista Piauí, 57 juízes punidos, nos últimos 10 anos,  em decorrência de vendas de sentenças para bicheiros, narcotraficantes, de desvios por estelionato mantiveram  preservadas como vitalícias suas aposentadorias com uma  média de 38 mil reais! Enquanto na justiça os verdadeiros fraudadores na justiça tem uma aposentadoria de 38 Salários mínimos, vem esse novo ataque pra quem recebe  até  1  Salário mínimo e meio  afirmando que visa a “diminuição de possíveis fraudes e pagamentos indevidos”, em sua nota no site do INSS.

Início da Notificação do INSS

O INSS começará a enviar uma notificação sobre a revisão de benefícios a partir deste mês, e os segurados terão 60 dias para enviar a documentação solicitada. Os segurados serão comunicados pelos correios por cartas físicas e virtuais.  O envio dos documentos deve ser feito pelo site ou aplicativo do MEU INSS, preferencialmente, ou o segurado poderá agendar atendimento presencial pela Central 135 para entregar os documentos pedidos.

O pior de tudo é que o Segurado terá seu benefício suspenso se não enviar os documentos solicitados.

Cartilha da Previdência

Para isso o Secretário Geral e  de Imprensa  do sindicato Paulo José ( Paulão) recorda que o sindicato dos químicos lançou no final de julho uma cartilha para que os trabalhadores possam acompanhar a sua vida profissional através do MEU INSS, conferindo as suas contribuições mensais e acompanhando os seus direitos. (http://quimicosabc.org.br/noticias/sindicato-lanca-cartilha-digital-sobre-previdencia-social-3237/ )   Paulão diz: “ Esse governo anti-direitos quer penalizar os mais pobres como fez na reforma da previdência do ano passado. Não quer mexer nos salários do judiciário, ministério público, legislativo federal  na reforma administrativa e vem mais uma vez mexer com os segurados mais pobres da previdência social.”(foto)

Fetquim  atenta aos direitos previdenciários na campanha salarial

Para Airton Cano, Coordenador da Fetquim diz: “ Estamos atentos para que os direitos previdenciários dos trabalhadores não sejam ainda mais dilapidados por esse governo que protege os mais ricos e prejudica os trabalhadores mais pobres. Por isso toda a nossa força na campanha salarial deste ano para que os direitos sociais da categoria química sejam preservados.”

(Fonte:  INSS e BEPS-julho 2020, Revista Piauí 07/2019)

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: