Notícias

Setor Farmacêutico: luta será por VACINA JÁ, aumento real e reajuste no vale alimentação

Pauta de Reivindicações da Campanha Salarial 2021 foi aprovada em assembleia online da Fetquim nesta quinta-feira 18/02

Assembleia online realizada pela Fetquim-SP nesta quinta-feira, 18 de fevereiro, aprovou a pauta econômica dos farmacêuticos que será apresentada aos patrões no próximo dia 9 de março, com reposição da inflação mais 3% de aumento real. A data base dos farmacêuticos é 1º de abril.

Nesta campanha serão debatidas apenas as cláusulas econômicas. As cláusulas sociais da Convenção Coletiva negociadas no ano passado continuam em vigor até 2022.

Confira o que ficou decidido:

Ponto Específico:

• Vacinação já!, Para todos os trabalhadores/as do setor farmacêutico independente da modalidade de contração (direto/terceirizado/prestador de serviços/outras), com abono de horas para vacinações que ocorrerem fora do local de trabalho.

Reivindicações Econômicas:

• Reajuste de salários pela reposição integral da inflação + 3% de aumento real.

• Reajuste do Piso Salarial em 10%

• Pagamento de PLR – equivalente a 02 pisos salariais já reajustados.

• Auxílio alimentação – reposição da variação da cesta básica calculada pelo Dieese nos últimos 12 meses.

• Todas as demais cláusulas que tenham aspectos econômicos (multas etc.), corrigir valores com reposição integral da inflação + 3% de aumento real.

• Reajuste da cesta de medicamentos pela reposição integral da inflação + 3% de aumento real.

• Fornecimento de medicamentos gratuitos aos trabalhadores/as do setor farmacêutico independente da modalidade de contração (direto/terceirizado/prestador de serviços/outras).

• Planos de saúde – debater políticas de reajustes dos planos de saúde e congelamento dos valores de mensalidades/coparticipação.

Outros temas que poderão ser tratados, não vinculados as cláusulas econômicas:

• Home Office

- Reposição de custos aos trabalhadores/as relativos a custos com internet, energia elétrica etc.

- Mecanismos de controle das jornadas de trabalho e formas de indenização de horas que excedem a jornada contratada.

- Funcionamento dos setores administrativos de serviços de apoio aos trabalhadores/as da produção: regras de atendimento à distância, concentração de tarefas etc.

• Banco de Horas:

Estabelecer mecanismos de controle de jornada e de remuneração das horas.

 

Como está a indústria farmacêutica

Na exposição da conjuntura econômica, a economista do Dieese, Rosângela Vieira, destacou que a indústria farmacêutica registrou crescimento de 12,13% em 2020 (R$ 126 bilhões contra 9,25% em 2019), e aumento de vendas em unidades de 8,33% (R$4,7 bilhões) contra 4,66% em 2019, apesar do dólar nas alturas e da dependência de insumos importados. A capacidade instalada da indústria segue estável em 76,8%.

Disse ainda que foram gerados mais 1.337 postos de trabalho no estado de São Paulo. Até entre os propagandistas da indústria farmacêutica, uma das áreas dentro deste mercado afetadas pela crise, houve saldo positivo de 151 empregos.

Os laboratórios nacionais de médio porte também turbinaram seus negócios em 2020 com medicamentos que prometiam, sem base científica, combater a Covid-19. Segundo o próprio sindicato patronal Sindusfarma, com base nos dados da consultoria IQVIAA, a venda do vermífugo ivermectina saltou de R$ 44,4 milhões em 2019 para R$ 409 milhões no ano passado, alta de 829%. No caso da cloroquina e hidroxicloroquina, indicados para malária e lúpus, a receita subiu de R$ 55 milhões para R$ 91,6 milhões no mesmo período. Fabricam o ivermectina: Abbott, Biolab, Cifarma, EMS, Galderma, Neo Química, Vitamed e UCI Farma. No caso da cloroquina e hidroxicloroquina, também são fabricantes, além da Apsen, as farmacêuticas EMS e Sanofi.

 

Calendário de atividades:

• De 18/02 a 28/02 - Período para realização de assembleias para ratificação da pauta.

• 09/03 - Data de entrega da pauta para setor patronal – Forma e horário a definir.

 

Com informações e foto da Fetquim-SP

 

 

Compartilhar com:

Enviar:

Imprimir: